Recomendações Cinéfilas Novembro 2021

Daniel Carrapato
Escrito por Daniel Carrapato a
Recomendações Cinéfilas Novembro 2021

Peaky Blinders

Autor: Ângelo Miguel

“Peaky Blinders” acompanha a família Shelby a partir do ano de 1919. Começando como donos de uma casa de apostas em Birmingham, a família torna-se num dos Gangs mais influentes do Reino Unido, tudo motivado pela grande ambição de um dos membros da família, Thomas Shelby.

“Peaky Blinders” fornece-nos aquela que pode ser uma das melhores personagens de sempre numa série de televisão. Tommy, que costumava ser um rapaz alegre, romântico e crente em causas sociais, torna-se num homem amargurado, movido por mágoa, vivendo assombrado pela sua própria inteligência devido ao trauma que foi lutar na Grande Guerra.

A sexta e última temporada de “Peaky Blinders” estará disponível a partir de Fevereiro de 2022.

Veep

Autor: Tomás Ricou

As recentes eleições no Estado de Nova Jérsia e na Commonwealth da Virgínia, cujos resultados eleitorais, enquanto preview das eleições intercalares, prospetam o Partido Democrata estar em sério risco de sofrer uma enorme hecatombe em 2022. Esta situação fez-me lembrar uma personagem fictícia que eu acarinho muito: Selina Meyer, da série Veep. O que faria ela perante estes resultados?

Protagonizada pela gigante do mundo da comédia Julia Louis-Dreyfus, Selina é a Vice-Presidente dos Estados Unidos da América e, enquanto a primeira mulher no cargo, deveria ser um modelo a seguir…mas na prática não. Veep é uma sátira genial à vida política americana, desde os seus políticos e acordos de bastidores, à forma como os media se comportam e são manipulados (e manipulam a opinião pública).

Selina e a sua equipa fazem tudo o que lhes possibilite manter ou aumentar o seu poder, aliás como todos os restantes personagens. Não há narrativas inspiradoras à la West Wing ou ultra irreais como House of Cards. Existe apenas intrigas e cinismo, que muitos políticos e ex-políticos consideram ser a representação fictícia mais parecida à realidade.

Para quem como eu gosta de acompanhar a política americana, ou simplesmente para alguém que aprecie e queira rir – muito – não existe melhor recomendação do que ver as 7 temporadas de uma das melhores obras-primas que alguma vez passaram no pequeno ecrã.

Daniel Carrapato

Daniel Carrapato

Vogal da Cultura.